Autossatisfação feminina: as viagens ao clitóris

autossatisfação feminina

au·tos·sa·tis·fa·ção (auto + satisfação)

substantivo feminina

  1. Satisfação de alguém consigo mesmo.
  2. Manipulação dos próprios órgãos sexuais para obter prazer sexual. = AUTOEROTISMO, MASTURBAÇÃO
  3. [Direito] Recuperação por ação do próprio, de um bem ou direito que lhe foi indevidamente retirado.

Que autossatisfação feminina é um tabu, isso todos sabemos. Sabemos também que tem gente que acredita piamente que mulher não se masturba e foi feita somente para gerar filhos. Há mulheres, infelizmente, que se masturbam e produzem um sentimento de culpa por tal feito que, em teoria, deveria ser natural.

Vale lembrar, no entanto, que temos uma coisa magnífica chamada clitóris e que nele, há pelo menos 8 mil terminações nervosas. O que isso significa? Que deve ser usado e descoberto, com certeza.

Para ajudar a desmistificar esse assunto, além de apresentar o conceito de autossatisfação, que prova que todos nós (sem definirmos o sexo, gente) podemos (se assim queremos) procurar nossos próprios pontos de prazer, pode-se dizer que a intenção também é mostrar que as mulheres devem se tocar sim!!

O primeiro benefício que vale a pena ser citado (e talvez seja o primeiro pensamento relacionado a isso) é o autoconhecimento. Quando você se masturba e consegue alcançar o prazer consigo mesma, você sabe exatamente como direcionar o(a) teu parceir(x) na hora do sexo, além de explorar sua própria sexualidade, não é mesmo?! O segundo benefício é que se conhecendo, a sua confiança e autoestima são elevadas também.

Não sou terapeuta sexual (e talvez nem pretenda), mas baseando-se em pesquisas e no que muito andei ouvindo sobre autossatisfação, separei algumas coisinhas com as quais gostaria de compartilhar com o mundo. Não chamarei de dicas, porque eu não sei o quão útil ou proveitoso isso será para vocês.

Nas minhas “andanças” pela internet, me deparei com milhares de materiais (MILHARES) com dicas de como agradar um homem na cama. Ou como prende-lo a seus pés. Ou qualquer coisa nesse sentido, o que me fez pensar muito sobre: Cadê materiais para mulheres? Vi poucas (e se é que vi) matérias intituladas: Como agradar uma mulher na cama? Como enlouquece-la durante o sexo ou temas que desrespeitam ao universo feminino.

A maioria dos materiais que são encontrados na internet sobre masturbação feminina pode ser classificada de duas formas: pornográficos ou guias básicos, nada muito informativos. E aí voltamos para a estaca zero do primeiro parágrafo sobre a relação mulher e sexualidade ainda ser um tabu. Estamos em 2017, as relações sociais já estão mudando drasticamente, as pessoas estão tentando se desconstruírem, porém no que diz respeito a sexualidade feminina… O tabu permanece encrustado na cabeça dos indivíduos da mesma forma como no século XIX.

No século XIX, o orgasmo chamava paroxismo histérico e era visto como um tratamento para mulheres doentes, tidas como “histéricas”, que após serem tocadas no clitóris, acalmavam-se. Foi só anos mais tarde que a Associação Americana de Psiquiatria, decidiu que esse tipo de histeria não era uma doença. E quando os primeiros vibradores surgiram, mulheres já faziam uso desse objeto. No entanto, como o machismo é muito enraizado, associou-se a masturbação feminina a, de novo, promiscuidade, vulgaridade.

Graças a modernidade, as discussões e aos movimentos sociais femininos, os direitos sexuais das mulheres vêm se ampliando cada dia mais (MARAVILHOSO), mesmo com uma grande quantidade de pessoas que possuem e perpassam uma visão machista acerca do tema, os debates acerca do prazer feminino vem contribuindo para que as mulheres não se sintam envergonhadas com o próprio corpo.

Com o empoderamento feminino, creio que toda essa falta de informação e de repressão, vá diminuindo, bem como já acontece com as mulheres que passaram a sentir interesse em debater determinados assuntos, antes tidos como proibidos, mais abertamente, ou dos brinquedos eróticos que também passaram a visar o nosso bem estar sexual.

A partir disso, cito razões para tentar (se é que ainda não tentou):

  • É rápido e prático
  • Melhora a autoestima: você não precisa de um homem para ter prazer
  • O orgasmo proporciona bem estar
  • O orgasmo aumenta o fluxo de sangue nos tecidos, melhora a oxigenação do corpo.
  • Reduz insônia
  • Eleva a libido
  • Tonifica a musculatura pélvica
  • Diminui as tensões da tpm e alivio de câimbras
  • Aumenta a intimidade entre o casal

Termino esse texto (não querendo terminar) com uma frase incrível que encontrei navegando por aí: “Não despreze a masturbação – é fazer sexo com a pessoa que você mais ama” (Woody Allen). Se ame!

Maria Laura

Facebook Comments

Recomendados Para Você:

mautic is open source marketing automation